Lloyd Layman. Ouviram falar?

Duas publicações de Lloyd Layman marcaram decisivamente a abordagem do combate a incêndios! Vamos começar pela segunda, Fire Fighting Tatics, publicado pela NFPA em 1953.

Traduzido pelo então capitão do Corpo de Bombeiros de São Paulo, Ayrton Santos Miranda, esse texto começou a ser transmitido para os alunos do Curso de Bombeiros para Oficiais da turma 1970/71.

Num resumo bastante sintetizado, hierarquiza a sequência tática de combate a incêndio em fases, quais sejam: salvamento, isolamento, confinamento, extinção e rescaldo, acompanhados, sem que obedecessem quaisquer sequências, por ventilação e salvatagem (proteção de salvados). Para que ficasse fácil sua memorização, surgiu a palavra SICER, com as iniciais de cada uma das fases. A partir de então, aquilo que obedecia a ações intuitivas, passa e obedecer a uma sequência lógica.

Chegando a um incêndio, o bombeiro não deve pensar em apagá-lo, extingui-lo, e sim em buscar pela existência de pessoas em risco e salvá-las, mesmo que para isso seja necessário permitir o aumento do incêndio. É a fase do “salvamento”. Não mais existindo vítimas, a ação seguinte deve ser o “isolamento”, isto é, evitar que o incêndio passe de uma para outra edificação. Contido na mesma edificação, deve-se buscar o “confinamento”, cercando o incêndio para que não progrida dentro do ambiente construído e, só então, pensar na “extinção”. Extinto o incêndio, deve ser feita a inspeção final, fase essa que no original trazia a palavra “overhaul”, traduzida para “rescaldo”, que deve ser entendida como um repasse para deixar o local seguro, sem risco de reignição e também sem outros riscos, como desabamentos, ferimentos pela presença de objetos cortantes, etc.

A qualquer momento deve-se pensar em retirar a fumaça e os gases quentes, ou seja, “ventilar”, quer de forma natural ou forçada, para facilitar a visibilidade, a presença de ar respirável e o acesso às vitimas, ao foco do incêndio, etc., e tomar providências para que em especial a ação de extinção não aumente os danos, ou seja, cuidar para que as ações de extinção causem o menor dano possível, e que envolve providências de salvatagem ou proteção do material, como uso de cobertas de lona, seleção adequada do esguicho, etc.


O blog Falando de SCI (Segurança Contra Incêndios) trata dos incêndios e seus impactos na sociedade e de fundamentos e aspectos da regulamentação de segurança contra incêndio em geral. Seu autor é Walter Negrisolo, oficial da RR (reserva remunerada) do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar de São Paulo; Mestre em Arquitetura e Urbanismo e Doutor em SCI.
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui