Data: 22/03/2010 / Fonte: Agência de Noícias do Paraná

Paraná – O Paraná vai contar, a partir do dia 25, com mais 48 unidades de suporte básico (USB) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que serão entregues a 45 municípios. A ampliação do Samu se deve a uma parceira entre governo federal, governo estadual e municípios. O custo do Samu para o governo do Paraná é de R$ 9,5 milhões por ano.

“Estamos em um período de transição. Com as novas ambulâncias, deveremos avançar de 45% para 60% a cobertura de atendimento do Samu nos municípios paranaenses”, afirma o secretário da Saúde, Gilberto Martin.

As cidades de Cambé, Colombo e Fazenda Rio Grande receberão duas unidades devido a um acordo regional que visa beneficiar o atendimento a alguns municípios próximos dessas cidades.

O Paraná possui hoje 44 ambulâncias de Suporte Básico e 17 de Suporte Avançado – UTI Móvel – que estão a disposição, durante 24 horas. As unidades de Suporte Avançado contam com um médico, enfermeiro e motorista enquanto as de Suporte Básico com um técnico em enfermagem, além do motorista.

De acordo com o secretário, as novas ambulâncias dão continuidade à política do Governo de assistir os municípios de acordo com suas necessidades. “As aquisições servirão para que as cidades possam continuar prestando um serviço de qualidade a população local”, afirma Martin.

Cada USB tem rede de oxigênio, prancha longa de madeira para imobilização da coluna, colares cervicais, cilindro de O2, talas de imobilização de fraturas e ressuscitador manual adulto e infantil (ambu).

O Samu tem hoje 8 centrais que estão localizadas em Curitiba, Ponta Grossa, Maringá, Cascavel, Apucarana, Londrina, Foz do Iguaçu e Guarapuava. O atendimento é feito pelo telefone 192, que é responsável pela orientação dos profissionais das ambulâncias para que façam o encaminhamento das vítimas até a unidade de saúde mais próxima.

Os municípios serão beneficiados com as ambulâncias do Samu:

Adrianópolis, Almirante Tamandaré, Andirá, Apucarana, Araucária, Assaí, Bandeirantes, Bocaiúva do Sul, Cambará, Cambe, Campina Grandedo Sul, Campo Largo, Campo Magro, Centenário do Sul, Cerro Azul, Colombo, Colorado, Cornélio Procópio, Faxinal, Fazenda Rio Grande, Ibaiti, Ivaiporã, Jacarezinho, Jandaia do Sul, Lapa, Mandaguari, Manoel Ribas, Munhoz de Melo, Nova Esperança, Paiçandu, Pinhais, Piraquara, Ribeirão do Pinhal, Rio Branco do Sul, Rio Negro, Rolândia, Santo Antônio da Platina, São Jerônimo da Serra, São João do Ivaí, São José dos Pinhais, Sarandi, Sertanópolis, Siqueira Campos, Uraí, Wenceslau Braz.

2 COMENTÁRIOS

  1. Tenho um comentário quanto a noticia acima; na questão equipe da viatura seria importante a substituição dos motoristas para socorristas ;aqueles que não tenham o curso de socorristas é só faze-lo em instituição reconhecida pelo Mec;.Acho uma sugestão a ser pensada visto que o “motorista “`participa ativamente do atendimento a ocorrência ;tendo então que no minimo ter um conhecimento básico do que esta fazendo;lida-se com vidas e isso não é brincadeira….

  2. Boa sugestão amigo, mas estamos longe disso heim!! Em Centenário do Sul , por ex… Até o recepcionista mede pressão dos pacientes!!! Complicado heim!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui