Data: 14/04/2010 / Fonte: CBMMS

Fotos: CBMMS / TC de Paula 

Campo Grande/MS – Devido a baixa umidade relativa do ar, estiagem e altas temperaturas torna-se mais facíl a proliferação de focos de queimadas no Estado de Mato Grosso do Sul.

Se comparado ao mesmo período do ano passado, na região de Campo Grande, houve um aumento no número de atendimentos efetivos, de 253 ocorrências em 2009 no período de janeiro a abril, para 177 em 2010 de janeiro até o dia 14 de abril, esse acréscimo pode ser ainda mais alarmante no fechamento do mês, levando em consideração que o corpo de Bombeiros esta atendendo em média de nove ocorrências por dia.

A causa mais freqüente nos focos de incêndio em vegetação é o ato incendiário por humanos, ou seja, pessoas que utilizam a ação do fogo para a limpeza de terrenos e/ou pastagens.

Como agravante, em muitos casos, o incêndio é reativado por pessoas que tem interesse em limpar a área para construir ou para evitar multas, neste caso, as equipes do Corpo de Bombeiros retornam mais vezes no mesmo foco, gerando desgaste de viaturas, equipamentos e pessoal.

As conseqüências diretas dos incêndios são: destruição de plantas, mortes de animais e microorganismos, além de por em risco edificações próximas e o tráfego de veículos. Os acidentes de trânsito e riscos para a aviação estão entre as causas diretas, também.

Algumas das consequências indiretas são: agravamento de problemas respiratórios, mortandade de peixes, morte de animais, empobrecimento do solo, agravamento do aquecimento global, destruição da camada de ozônio e congestionamento do sistema de saúde (postos,hospitais, etc.).

Como medidas preventivas aos incêndios, o Corpo de Bombeiros recomenda:

– Aceiramento de propriedades.
– A capina de terrenos sem uso do fogo.
– Redução do uso de embalagens de produtos diversos, reduzindo a quantidade de lixo na natureza.


Quando não for possível evitar o surgimento do fogo, um combate especializado será necessário no local, neste caso, deve-se acionar o Corpo de Bombeiros Militar pelo fone 193. Quem estiver ao telefone deve permanecer calmo e identificar-se, informar o endereço correto e, pelo menos, um ponto de referência, por fim. aguar na linha até que todas as informações sejam registradas.

O uso de fogo é crime previsto na LEI Nº 9.605, DE 12 DE FEVEREIRO DE 1998, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente. Qiando houver uma  corrência de fogo em terrenos sem autorização ambiental e com autor conhecido, o caso deve ser denunciado à Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista (Decat) no telefone 3318-9011. Os bombeiros também devem ser acionados pelo 193 para combater as chamas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui