Crédito: CBMERJ

Fonte: CBMERJ

Há 15 anos, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) conta com o serviço apurado de uma tropa de elite de quatro patas. Fundado em 2006, em Magé, o canil da corporação prepara bombeiros e cães para atuarem juntos no apoio a eventos de busca em matas, em deslizamentos e desabamentos, entre outros.

Trinta e cinco animais já serviram na Seção de Operações com Cães do 2° Grupamento Socorro Florestal e Meio Ambiente (2° GSFMA), atuando em mais de 200 eventos de socorro, alguns deles de grande vulto e projeção internacional. Em 2010, a tropa canina do CBMERJ auxiliou a procura por sobreviventes após o terremoto que atingiu o Haiti. No ano seguinte, os cães foram usados no socorro às vítimas da tragédia que atingiu a Região Serrana do Rio de Janeiro. Mais recentemente, em 2019, integraram a força-tarefa criada para responder ao rompimento de uma barragem em Brumadinho (MG).

Crédito: CBMERJ

– No Haiti foram 15 dias de trabalho. Na Região Serrana, as equipes do canil CBMERJ atuaram por mais de 30 dias. São operações minuciosas, muitas vezes extensas, que exigem muito treinamento prévio dos animais e dos militares – contou o 1º sargento José Cláudio Cabral da Silva, que participou das duas operações.

Só este ano, o canil do CBMERJ já atuou em cerca de 30 eventos, incluindo o desabamento de um prédio em Rio das Pedras. O canil conta com 15 animais, sendo 12 aptos ao serviço e 3 em treinamento. Atualmente, 11 cães da corporação têm certificações nacionais e internacionais.

Ainda filhotes, os animais iniciam uma série de exercícios, com estímulos motores e sensoriais, a fim de despertar aptidões necessárias para atuação no socorro. Em campo, eles põem em prática as habilidades adquiridas e sinalizam as vítimas para que o socorro seja realizado sempre no menor tempo possível.

– Os bombeiros condutores e os cães do canil do CBMERJ estão entre os mais capacitados do país. Estamos prontos para atender a população fluminense com excelência e também auxiliar em ocorrências de outros Estados e mesmo outros países, caso sejamos solicitados – afirmou o comandante do 2º GSFMA, tenente-coronel Douglas Henault.

Crédito: CBMERJ

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui