Crédito: Divulgação/Polícia Militar

Fonte: Agência Brasil

A Polícia Civil de Franca, interior de São Paulo, descartou a hipótese de crime ou interferência humana no acidente ocorrido no último dia 31 de outubro em uma gruta em Altinópolis, no interior do estado. De acordo com o laudo pericial da polícia civil, o acidente ocorreu em função da característica da rocha, feita de arenito e da perda de estabilização de suas estruturas.

De acordo com depoimentos dos que estavam no local, 28 bombeiros civis realizavam treinamento na gruta no fim de semana do dia 31 de outubro, quando, após intensas chuvas, os instrutores decidiram cancelar o treinamento, mas aguardaram na gruta a diminuição das chuvas para poderem retornar. No entanto, no momento de espera, a gruta cedeu causando a morte de 9 pessoas e deixando outras feridas.

A prefeitura de Altinópolis na época afirmou que por se tratar de um terreno particular, não era responsável pela fiscalização, mas que devido às condições perigosas, a defesa civil da cidade deveria ter sido avisada do treinamento pela empresa responsável.

A prefeitura informou que, após receber este mês relatório do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, sobre o material e as condições das grutas da região, interditou as 19 grutas que ficam dentro do município e notificou proprietários de terras onde elas estão localizadas.

LEIA MAIS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui