Data: 19/03/2010 / Fonte: Redação Revista Emergência

Brasília – Nessa semana, o ministro da  Saúde José Gomes temporão, reuniu empresários dos setores públicos e privados para ajudarem a divulgar a estratégia nacional de vacinação contra a Gripe A (H1N1). Ao todo, o encontro contou com a participação de 120 representantes de 87 empresas públicas e privadas de variadas áreas – alimentos (Sadia, MC Donalds, Carrefour, Coca-Cola, Danone), Intelig Telecom, telefonia (Oi, Claro, TIM, Vivo), instituições financeiras (Caixa Econômica, Banco do Brasil, Bradesco), entre outros.

A ideia é de que, além de disseminar informações, distribuindo materiais sobre a gripe aos seus funcionários, os parceiros também auxiliem na organização da própria vacinação. O ministro sugeriu, de acordo com o portal do Ministério da Saúde, que os parceiros articulem, com a ajuda das secretarias de saúde, uma visita escalonada de seus funcionários pertencentes aos públicos-alvo aos postos de saúde. Uma alternativa que garante a imunização dos trabalhadores e, ao mesmo tempo, evita o aumento das faltas no trabalho.

Imunização para profissionais da saúde

A primeira etapa da estratégia nacional de vacinação contra a gripe pandêmica começou na segunda-feira, 8. Até a data de hoje, 19 de março, somente os trabalhadores de serviços de saúde que atuam diretamente na resposta à nova gripe e os indígenas que vivem em aldeias foram imunizados. Cada estado, em parceria com os municípios, ficou responsável por determinar como a vacina chegará a essa população (incluindo os trabalhadores da rede privada envolvidos diretamente no atendimento dos casos suspeitos da nova gripe), bem como os locais e horários de vacinação.

Entre os trabalhadores, estão médicos, enfermeiros, recepcionistas, pessoal de limpeza e segurança, motoristas de ambulância, equipes de laboratório e profissionais que atuam na investigação epidemiológica. São pessoas que estão diretamente envolvidas no atendimento de pessoas com suspeita de gripe, que procuram os serviços de saúde por estarem sentindo os principais sintomas da doença – febre, tosse, dor de cabeça, dores no corpo, nos olhos e nas articulações e falta de ar.

Medidas preventivas para as equipes de saúde

Freqüente higienização das mãos;
Utilizar máscaras cirúrgicas durante o atendimento de pacientes com síndrome gripal;
Descartar luvas após atender ao paciente e lavar as mãos para atendimento a outro paciente;
Evitar tocar superfícies com luvas ou outro EPI contaminados ou com mãos contaminadas. As superfícies  envolvem aquelas próximas ao paciente (ex. mobiliário e equipamentos para a saúde) e aquelas fora do ambiente próximo ao paciente, porém relacionadas ao cuidado com o paciente (ex. maçaneta, interruptor de luz, chave, caneta, entre outros);
Não circular dentro da UBS usando os EPI. Estes devem ser imediatamente removidos ou trocados após o atendimento;
Restringir a atuação de profissionais de saúde com doença respiratória aguda na assistência ao paciente.
Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
Higienizar as mãos após tossir ou espirrar.

Pesquisa mostra repercussão da campanha de vacinação

Em pesquisa realizada pelo ministério, os 1,3 entrevistados, de 352 cidades brasileiras, responderam sobre a vacinação. Ao todo, 71% responderam acreditar na eficácia da vacina contra a gripe A (H1N1); 83% afirmaram não ter medo da vacina e 84% disseram que gostariam de ser imunizado. A pesquisa indagou ainda sobre a qualidade das informações divulgadas na campanha. De uma nota de 0 a 10, a média de avaliação ficou em 8,56, segundo o portal do Ministério da Saúde.

O estudo também constatou que 64% dos entrevistados sabem que haverá uma grande campanha de vacinação contra a gripe pandêmica. Temporão alertou para a necessidade de mais pessoas estarem cientes da vacinação, segundo o portal da saúde. Para isso, conta com a divulgação maciça para a sociedade brasileira.

Para mais informações sobre a imunização acesse: www.vacinacaoinfluenza.com.br




DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui