Data: 22/03/2010 / Fonte: Portal da Saúde

Rio de Janeiro – A região serrana do Rio de Janeiro recebeu nesta sexta-feira (19) sua primeira UPA (Unidade de Pronto-Atendimento 24 Horas). Sediada no município de Teresópolis, a unidade atenderá também a população dos municípios de São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro em Carmo. Para manter a unidade em funcionamento, o Ministério da Saúde investirá, a cada ano, R$ 3 milhões. Outros R$ 3,5 milhões foram investidos pelo governo do estado do Rio de Janeiro em obras e aquisição de equipamentos.

“De cada 100 pessoas que entram em uma UPA, 99 saem com o problema resolvido e com o remédio na mão. E o mais importante é que, com a organização de uma rede de assistência para cuidar do que cada cidadão precisa, essas pessoas podem ser depois encaminhadas a um médico da Saúde da Família, a um especialista, para poder fazer o seguimento desse atendimento”, disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, durante a cerimônia de inauguração da UPA de Teresópolis.

A unidade de Teresópolis é a 28ª UPA inaugurada no estado do Rio de Janeiro, das quais 27 estão sob gestão do governo estadual e uma sob administração da Prefeitura do Rio de Janeiro. Desde 2007, quando foi inaugurada a primeira UPA 24 Horas do estado, essas unidades já atenderam 4,32 milhões de pacientes, com a realização de 2,1 milhões de exames. Nesses três anos, as UPAs do Rio de Janeiro contabilizam ainda a distribuição de 26 milhões de medicamentos.

Em todo o País, o Ministério da Saúde já autorizou a liberação de recursos para a construção de 329 UPAs, o que representa um investimento de R$ 656,8 milhões apenas na construção e compra de equipamentos. Até o final deste ano serão 500 unidades em todas as regiões do Brasil.

“Além de organizar o sistema, reduzir custos e dar mais conforto à população, a UPA contribui para reduzir a mortalidade por doenças graves, por acidentes. Aquela mãe que ficava desesperada com o filho doente no meio da noite agora já sabe para onde ir”, afirmou o ministro Temporão.

Para evitar a superlotação em hospitais e reduzir as filas para atendimento a urgências e emergências, essas unidades oferecem serviço de Raio X, laboratório para exames, aparelho de eletrocardiograma e atendimento pediátrico. Nelas, a população pode resolver problemas como pressão alta, febre, cortes, queimaduras, alguns traumas, e receber o primeiro atendimento para infarto ou Acidente Vascular Cerebral (AVC), entre outras enfermidades.

Quando o paciente chega à unidade, os médicos prestam socorro, controlam o problema e detalham o diagnóstico. Eles analisam se é necessário encaminhar o paciente a um hospital ou mantê-lo em observação por até 24 horas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui