Data: 14/04/2010 / Fonte: SECOM–AL

Alagoas – A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), em parceria com o Ministério da Saúde (MS), Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), iniciou nesta terça-feira, 13, o seminário sobre a regionalização do Samu. O evento, que reuniu prefeitos e secretários municipais de saúde, teve o objetivo de discutir a ampliação da rede Samu, o papel e a responsabilidade dos gestores municipais em relação à operacionalização do serviço.

O governo do Estado vai colocar em prática um projeto pioneiro de regionalização do serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), com o objetivo de implantar uma base do Samu a cada raio de aproximadamente 30 km, visando reduzir ainda mais o tempo-resposta dos chamados. Para isso, os municípios interessados devem assinar, durante o Seminário na AMA, o termo de interesse para a implantação das bases.

A consultora do Ministério da Saúde da Coordenação Geral de Urgência e Emergência Pré-hospitalar, Valmira Costa, e o diretor de Atenção Pré-hospitalar da Sesau, Iracildo Camelo Junior, apresentaram temas sobre investimentos e importância da ampliação do Samu.

“Em Alagoas, o Samu está em plena expansão e não deve nada a outros Estados da federação. Alagoas está à frente de vários Estados graças à parceria entre o governo do Estado e o Ministério da Saúde”, comentou a consultora. Os gestores precisam compreender como funciona o Samu e quais os seus benefícios para nossa população”, destacou a consultora do MS, acrescentando que o objetivo do Ministério é apoiar os Estados e municípios.

Segundo ela, dados relativos a março deste ano apontam que 2.354 municípios brasileiros contam com o apoio do Samu, que beneficia uma população de praticamente 129,7 milhões de cidadãos. Ela lembra ainda que em 2003, um ano após a implantação do serviço 192, a população coberta era de apenas 1 milhão de pessoas, enquanto que em 2006 essa cobertura saltou para 89,1 milhões de brasileiros.

“O Brasil tem um dos melhores serviços de resgate do mundo. Os prefeitos e secretários municipais de saúde demonstram que estão engajados nesse objetivo. Aqui em Alagoas, o serviço é bastante eficiente em função do apoio da gestão e da dedicação dos nossos profissionais”, destacou Iracildo Camelo.

Segundo o médico, ainda neste semestre o governo vai implantar o serviço aeromédico em definitivo. Para isso, o Estado já fechou contrato para aluguel de um helicóptero, além da abertura de processo para compra de duas aeronaves que servirão ao Samu e ao Corpo de Bombeiros.

Nesta quarta-feira, 14, o seminário prossegue com outras discussões. Estão previstas as apresentações sobre os serviços da Central do Samu de Maceió com o gerente-geral, José Kleber Santana, e com o gerente-geral de Arapiraca, Alexandre Cardoso, sobre o município de Arapiraca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui